Crédito Agrícola com resultado positivo de 43,5 milhões de euros em Março de 2019

Principais Destaques

  • No primeiro trimestre de 2019, o Grupo Crédito Agrícola apresentou um resultado líquido consolidado de 43,5 milhões de euros (+18,0% face ao período homólogo), para o qual o negócio bancário contribuiu com 36,6 milhões de euros (+12,8% face ao período homólogo).
  • Em 31 de Março de 2019, a carteira de crédito (bruto) a clientes do Grupo Crédito Agrícola ascendeu a 10,0 mil milhões de euros, uma variação positiva de 6,2% nos últimos 12 meses que contrasta com a variação homóloga negativa de 2,0% registada pelo conjunto das instituições financeiras em Portugal com referência a Mar.2019. A evolução positiva nas variáveis-chave de actividade bancária esteve associada a uma dinâmica muito positiva do Crédito Agrícola em todas as áreas de negócio.
  • Com referência a 31 de Março de 2019 e de acordo com as regras CRD IV/CRR a que se encontra sujeito, o Grupo Crédito Agrícola apresenta um confortável nível de solvabilidade consubstanciado pelo rácio common equity tier 1 (CET1) de 15,0%, valor francamente superior aos níveis mínimos recomendados.
  • A 25 de Maio de 2019, foram eleitos os novos órgãos sociais para o triénio 2019-2021, tendo Licínio Pina sido reconduzido no cargo de Presidente do Conselho de Administração Executivo da Caixa Central com 83% dos votos dos presentes na Assembleia Geral Eleitoral.

 

Desempenho do Grupo Crédito Agrícola no 1º Trimestre de 2019

  • No primeiro trimestre de 2019, o Grupo Crédito Agrícola apresentou um resultado líquido consolidado de 43,5 milhões de euros (+18,0% face ao período homólogo), para o qual o negócio bancário contribuiu com 36,6 milhões de euros (+12,8% face ao período homólogo).
  • Em 31 de Março de 2019, a carteira de crédito (bruto) a clientes do Grupo Crédito Agrícola ascendeu a 10,0 mil milhões de euros, uma variação positiva de 6,2% nos últimos 12 meses que contrasta com a variação homóloga negativa de 2,0% registada pelo conjunto das instituições financeiras em Portugal para o mesmo período.
  • Este facto terá contribuído para o reforço de quota de mercado de crédito do Grupo Crédito Agrícola (5,5%), num movimento que se verifica nos últimos 6 anos consecutivos.
  • Em Março de 2019, os recursos de clientes sob a forma de depósitos bancários totalizaram cerca de 14,0 mil milhões de euros, evidenciando um crescimento, em termos homólogos, de 10,2% correspondente a 1.297 milhões de euros. Este aumento de recursos contribuiu para a redução do rácio de transformação que, no final do período, ascendia a 68,3%.
  • A evolução positiva nas variáveis-chave de actividade bancária esteve associada a uma dinâmica muito positiva do Crédito Agrícola em todas as áreas de negócio.
  • Em termos de qualidade da carteira de crédito do Grupo Crédito Agrícola, o rácio bruto de Non Performing Loans (NPL) em Março de 2019 situou-se nos 9,8%, valor que compara com os 13,7% registados em Março 2018.
  • O Grupo tem vindo a dar continuidade a uma gestão sã e prudente, reflectida em imparidades de crédito acumuladas a Março de 2019 de 465 milhões de euros, valor que confere um nível de cobertura de NPL por imparidades de 45,3%.
  • Em termos de composição do produto bancário, a margem financeira manteve-se em linha com ano homólogo com um ligeiro aumento de 0,8 milhões de euros (+1,0%), o que se justifica essencialmente pela redução dos juros e encargos similares (-7,6M€), tendo sido este efeito em parte anulado pela redução dos juros e rendimentos similares (-6,7M€).
  • Complementarmente, a margem técnica do negócio segurador registou uma variação homóloga de +8,8 milhões de euros (+167,6%) e as comissões líquidas diminuíram 1,3 milhões de euros (-5,2%) face ao homólogo.
  • A rentabilidade alcançada pelo Grupo Crédito Agrícola a Março de 2019 (11,0% de ROE) espelha os resultados positivos conseguidos nas diferentes componentes do Grupo (Caixas Agrícolas, Caixa Central, companhias de seguros vida e não vida e gestão de activos e fundos de investimento), sendo de assinalar os contributos positivos de 2,9 milhões de euros da CA Vida e de 1,3 milhões de euros da CA Seguros.
  • Nos primeiros 3 meses de 2019, os resultados registados nos veículos de desinvestimento imobiliário (nomeadamente via desvalorização de unidades de participação) penalizaram os resultados consolidados em 5,2 milhões de euros, valor inferior ao registado no período homólogo (5,5 milhões de euros).
  • Com referência a 31 de Março de 2019 e de acordo com as regras CRD IV/CRR a que se encontra sujeito, o Grupo Crédito Agrícola apresenta um confortável nível de solvabilidade consubstanciado pelo rácio common equity tier 1 (CET1) de 15,0% e um nível de cobertura de liquidez (rácio LCR) superior a 400%, ambos os rácios bem acima dos níveis mínimos recomendados.

 

Responsabilidade Social Corporativa

  • O Crédito Agrícola, único banco a operar em Portugal filiado no sector bancário cooperativo europeu (que integra alguns dos maiores bancos mundiais), é um Grupo de referência no sistema bancário português, com capitais exclusivamente nacionais, do qual fazem parte um conjunto de empresas financeiras, entre as quais as seguradoras CA Vida e CA Seguros, e que apresenta uma oferta universal de produtos e serviços financeiros e de protecção.
  • O Grupo CA, através da implementação de uma estratégia coordenada entre os 80 bancos regionais que o compõem, prossegue empenhado em dinamizar a economia das cidades e vilas e em contribuir para a coesão social e territorial de Portugal.
  • Fruto da sua missão de desenvolvimento regional e da sua vocação de banco de proximidade, o Grupo CA apresenta a maior rede bancária em Portugal com 655 agências (Mar.2019) tendo, em termos líquidos, reduzido apenas 8 Agências nos últimos 12 meses.

 

Reconhecimento Externo

  • Neste 1º trimestre, o Crédito Agrícola foi o primeiro Banco a disponibilizar a consulta automática da situação profissional de clientes à Segurança Social e/ou Caixa Geral de Aposentações através de serviço disponibilizado pela Agência para a Modernização Administrativa (AMA), através do serviço de abertura de cliente e conta “CA Express”.
  • Em termos de distinções, o Crédito Agrícola foi galardoado, pelo quinto ano consecutivo, com o Prémio Cinco Estrelas na categoria “Banca - Atendimento ao Cliente” e eleito pela revista Global Banking and Finance Review como o “Melhor Banco para o Desenvolvimento Agrícola em Portugal – 2018”.
  • O Crédito Agrícola foi ainda eleito pela “Escolha do Consumidor 2019” como melhor Banco, na Categoria Pequenos e Médios Bancos. A Instituição Financeira conquistou a preferência dos consumidores portugueses e obteve uma nota global de avaliação de 71,5% que teve em conta critérios como confiança e credibilidade, eficiência na resolução de problemas, transparência, facilidade das operações bancárias, apoio e atendimento ao cliente, segurança e informação clara sobre serviços e produtos.

 

Principais Indicadores Consolidados do Grupo Crédito Agrícola

 

  Valores em milhões de euros, excepto percentagens

Indicadores consolidados do Grupo CA

Mar.2018

Mar.2019

Δ Abs. 19/18

Δ % 19/18

Balanço

Activo líquido total

18.086

18.952

867

4,8%

Crédito a Clientes total (bruto)

9.424

10.010

585

6,2%

do qual: Crédito a empresas e administração pública (bruto)

4.955

5.427

473

9,5%

Recursos de Clientes no balanço

12.675

13.971

1.297

10,2%

Imparidades e provisões acumuladas

1.293

1.162

-131

-10,1%

Provisões técnicas de contractos de seguros

1.288

988

-301

-23,3%

Situação líquida

1.464

1.579

115

7,9%

Recursos fora do balanço

2.230

1.828

-401

-18,0%

Resultados

Resultado líquido consolidado

36,8

43,5

6,6

18,0%

do qual: Resultado líquido do negócio bancário

32,5

36,6

4,2

12,8%

do qual: Empresas Seguradoras (CA Vida e Seguros)

3,6

4,2

0,6

17,8%

do qual: Veículos de investimento imobiliário1

-5,5

-5,2

0,3

4,6%

do qual: Outros

6,3

7,9

1,6

25,4%

Margem financeira

81,6

82,5

0,8

1,0%

Margem técnica da actividade de seguros

5,3

14,1

8,8

167,6%

Comissões líquidas

24,5

23,2

-1,3

-5,2%

Produto bancário

130,3

139,8

9,5

7,3%

Custos de estrutura

82,7

81,0

-1,7

-2,1%

Imparidades e provisões do exercício

0,2

1,0

0,8

477,0%

Principais rácios

Rácio de transformação2

69,2%

68,3%

-0,8 p.p

n.a.

Rácio de NPL

13,7%

9,8%

-3,9 p.p.

n.a.

Rácio de cobertura de NPL por imparidades

49,1%

45,3%

-3,8 p.p.

n.a.

Custos operacionais / Produto bancário

63,5%

57,9%

-5,5 p.p.

n.a.

Rentabilidade do activo (ROA)

0,8%

0,9%

0,1 p.p.

n.a.

Rentabilidade dos capitais próprios (ROE)

10,1%

11,0%

0,9 p.p.

n.a.

Rácio common equity tier I3

14,2%

15,0%

0,8 p.p.

n.a.

Rácio de cobertura de liquidez (LCR)

336,2%

402,0%

65,8 p.p.

n.a.

# Agências bancárias

663

655

-8

-1,2%

(1) Fundos imobiliários e CA Imóveis, Unip. Lda.

(2) Rácio calculado segundo a Instrução 23/2012 do BdP, determinado pelo quociente entre crédito líquido concedido a Clientes e depósitos de Clientes.

(3) Rácio não incorporam o resultado gerado no trimestre.